Portal Online Multimidia

“Ponta-pé para reeleição de um prefeito da periferia”, diz David Almeida ao lançar pré-candidatura

O apelo pelo apoio popular foi o marco do discurso do prefeito de Manaus, David Almeida (Avante) que lançou a pré-candidatura à reeleição em um evento no bairro Morro da Liberdade, Zona-Centro Sul de Manaus, na noite desta segunda-feira (3). O local foi estrategicamente escolhido para lembrar “as raízes” da família Almeida, algo que foi constantemente citado ao longo dos discursos dele e dos apoiares.

Em um vídeo, exibido para o público, foram reforçadas origem de David como liderança comunitária e como ele chegou ao cargo de prefeito. Além da recordação dos desafios ao longo do mandato com a pandemia, uma vazante e um cheia histórica.

No discurso, David Almeida reforçou que não está morando mais no Morro da Liberdade, mas enfatizou a ligação pessoal com o bairro e com a vizinhança, de onde saiu “as candidaturas vitoriosas” dele.

“Esse anúncio eu quero dividir com quem mora na periferia, que mora no bairro, que mora na comunidade […] eu fiz questão de registrar a pré-candidatura de um prefeito eleito, com mandato na sua reeleição, porque isso tem um significado. Nós, da periferia só éramos lembrados na época da eleição agora se dá o ponta-pé inicial para a reeleição de um prefeito da periferia, da comunidade”, afirmou David Almeida.

O vice-governador Tadeu de Souza, presidente municipal do Avante, seguiu a mesma linha da fala de Almeida e assentou a amizade entre eles que surgira nas bases da comunidade “sem apadrinhamento” político. Tadeu aproveitou para cutucar adversário:

“Essa cidade não pode ser entregue a amadores. essa cidade não é um laboratório de experimentações. essa cidade não é para quem acha que cuidar da cidade é ir no google e ver diagnóstico. isso é fácil de fazer. temos que compreender e ser pé no chão que a cidade a gente cuida com foco, disciplina, trabalho e estratégia”, declarou o vice-governador.

Religião

David também usou o discurso para críticas especialmente para os pré-candidatos que tem buscado aproximação com as igrejas “somente durante o período eleitoral” na tentativa de angariar votos. Algo diferente do que é feito por ele, que cresceu na Igreja Adventista. Mesmo com o apelo religioso, inclusive com citações ao antigo testamento – numa chamada para o povo “ser Moisés” e “mostrar as obras da prefeitura” – David disse que, apesar de considerar importante o apoio dos evangélicos, não fará uma gestão para todos.

“Sou evangélico, mas sou prefiro de todos. Sou prefeito de quem é evangélico, católico, quero poder ser aquele que pode fazer ajuda a todas as denominações cristãs ou não”, assentou David Almeida.