Portal Online Multimidia

Rio Preto da Eva anuncia racionamento de água como medida de contenção à seca

Rio Preto da Eva (AM) – Devido à seca severa que atinge a região do Amazonas, a cidade de Rio Preto da Eva está iniciando o seu primeiro programa de racionamento de água no interior do estado. As medidas de contingência entraram em vigor no último dia 10 e estão programadas para se estenderem ao longo de 60 dias. O prefeito do município, Anderson Sousa, comunicou a decisão através das redes sociais.

O município tomou duas principais ações em resposta à situação. Uma delas envolveu o desligamento de todas as bombas de água das 23h às 5h, permitindo assim a recuperação dos níveis dos poços, que se encontravam significativamente abaixo dos níveis recomendados. Além disso, foi estabelecido que haverá multas e a instalação imediata de hidrômetros nas residências de usuários que estejam desperdiçando água.

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Rio Preto da Eva (SAAE) ressaltou a importância crítica dessas medidas no contexto atual, com o objetivo de proteger o sistema de fornecimento de água e prevenir qualquer possível colapso.

“Estas medidas são de extrema necessidade no momento que estamos passando, afim de resguardar nosso sistema de abastecimento de água, para que o mesmo não venha a sofrer um colapso”,

informou o Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Rio Preto da Eva (SAAE).

Emergência

A cidade de Rio Preto da Eva faz parte das 45 cidades do Amazonas que enfrentam uma situação de emergência devido à seca. Esses dados são informados no boletim sobre a estiagem divulgado pelo Governo do Amazonas. Até as 14h do último dia 10, o estado contabilizava 45 municípios em situação de emergência, 15 em estado de alerta e 2 em situação de normalidade

Perspectivas futuras

De acordo com o Serviço Geológico do Brasil, o Rio Negro ainda deverá baixar por mais duas semanas. O declínio das águas na capital dependerá, em grande parte, do comportamento do Rio Solimões. Se o Rio Solimões experimentar uma seca recorde em Tabatinga, a vazante em Manaus pode superar os registros de 2010.

 

 

*Com informações EM TEMPO